Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Assins & Assados

Uns perguntam: "Porquê imitar ?" Eu pergunto: "Porquê castigar?"

por Paulina Mata, em 13.11.18

l_18128_vegan-sushi.png

 

verde escuro.jpg

 

Não, não é atum, parece mas não é!  É sushi vegano em que é usado um produto que tenta reproduzir as características do atum, mas à base de tomate.

 

Os comentários ao post do Fine Dining Lovers relativo a este produto foram os habituais:

 

Se são veganos e escolheram não comer carne ou peixe, porque é que têm que comer imitações?

Então não são veganos? Comer algo que reproduz as características da carne ou peixe é uma hipocrisia.

Outros comentam que de certeza não é igual de aspeto, nem sabe ao mesmo.

Há até quem pergunte porque é que têm que comer estas coisas se, sendo veganos, nem sabem qual é o sabor da carne e do peixe...

 

Quando se fala de imitações de carne e peixe para veganos, as reações são fortes ou, no mínimo, de incompreensão. Curiosamente, nunca vi ninguém tão preocupado com pão sem glúten, com cerveja sem álcool, com refrigerantes a imitar laranja... Mas com estes produtos sim.

 

Vi até há uns meses um chefe, numa apresentação em que deveria falar do seu trabalho, clamar contra aqueles leites que não são leites. Que se recusa a usar ou beber, pois leite é leite. Não é aquilo. Ele, que até só come carne ao fim de semana... Porque é que produtos que se usam nas mesmas situações do leite, mas à base de vegetais, são produtos menores e causam tanta irritação e rejeição? Porque é que não são vistos como alternativas igualmente válidas?

 

Pois não é leite, nem isso está escrito em lado nenhum, nem o "queijo" vegano é queijo, nem este "atum" é atum... Isso não está escrito em embalagem nenhuma. Nem podia. É apenas a forma das pessoas se referirem pela semelhança. Tal como chamam chá a infusões de tília.

 

Mas voltando aos habituais comentários. Começando pelo último, raros são os veganos que nasceram veganos. A generalidade comeu carne ou peixe mais ou menos anos. A generalidade cozinhou carne ou peixe mais ou menos anos. Não se tornaram veganos por não gostarem, tornaram-se por questões de ética ou saúde. Portanto sabem qual é a textura da carne e do peixe. E muitos deles até gostavam muito.

 

Por outro lado, se para os chefes é difícil adaptarem-se a este tipo de requisitos alimentares, e pensarem fora da caixa, os veganos tiveram que se habituar. Mas também sabe bem poderem usar as competências que adquiriram antes, as técnicas e receitas que seguiam antes. E algo a imitar hambúrgueres, frango, camarões ou carne picada ajuda... 

 

Por outro lado, os veganos vivem em sociedade e gostam de se sentir integrados. Gostam dos rituais e sabores a que estavam habituados. São os das suas memórias de sabores, os que lhes causam recordações e emoções, e os que estão associados à sua identidade cultural. E se puderem reviver tudo isso? Porque não? Não se faz o mesmo para quem não pode beber álcool, comer glúten ou açúcar?  Porque não podem os veganos comer "bacalhau à braz" (mesmo que sem bacalhau e sem ovos) ou um "chouriço" assado, ou até um "ovo" estrelado ou "ovos" mexidos com tomate, ou cozidos?

 

IMG_20180304_105057.jpg

ovo cozido.jpg

 

Porquê este tipo de reações? Porquê esta vontade de castigar os veganos?

 

 

19 comentários

Comentar post