Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Assins & Assados

The Fat Duck - What nostalgic memory transports you totally ‘into the moment’...?

por Paulina Mata, em 18.06.18

IMG_20170709_205456.jpg

 

amarelo.jpg

 

De acordo com o nosso itinerário, a seguir à tarde na floresta seguia-se o jantar, trouxeram-nos pão (excelente) e manteiga e o menu do jantar, mas volto a ele amanhã. Pelo meio houve um extra...

 

IMG_20180517_144533.jpg

 

Quando li pela primeira vez a questão: 

What nostalgic memory transports you totally ‘into the moment’ – a childhood holiday perhaps, or an adventure, or simply the perfect day…? And are there special sights, sounds, smells, flavours or objects that you associate with it?

 

Pensei - "Sei, lá... depende dos dias e das ocasiões". Sentei-me para responder sem ter nenhuma ideia. Mas, tal como me acontece com a maioria dos posts, em que quando me sento não tenho ideia nenhuma do que vou escrever, e os dedos vão batendo no teclado e as coisas saindo... o mesmo aconteceu neste caso

 

Em criança / adolescente, vivíamos na Beira Baixa, em Envendos, onde era a fábrica da minha família. Mas a partir de certa altura passámos a ter também uma casa em Nova Oeiras para onde íamos nas férias, e mais tarde para onde fomos quando tivemos que prosseguir os estudos. No verão íamos a pé para a praia de Oeiras, e no regresso, para nos distrairmos durante aquela subida um pouco íngreme, íamos atentos às plantas para encontrar caracóis, que apanhávamos e púnhamos nos baldes da praia. Uma dúzia de olhos... descobriam muitos. Quando chegávamos eram colocados num recipiente onde ficavam uns dias, e outros lhes iam fazendo companhia. Depois, havia um dia em que ao fim da tarde se coziam os caracóis com alho e oregãos, e sentávamo-nos todos no terraço a comê-los. Aquele ar de fim de tarde, o ambiente animado da família toda reunida (por vezes com os primos e a tia que viviam no rés-do-chão), e aquele petisco, eram momentos altos das férias. Contei mais ou menos isto.

 

Assim, depois de nos colocarem o pão com manteiga e enquanto preparavam o nosso jantar, trouxeram-nos  Snail Porridge, Joselito Ham, Shaved Fennel, um clássico do The Fat Duck que já não está na carta e cuja receita foi publicada pelo Heston Blumenthal num artigo no The Guardian em 2003.

 

IMG_20180517_144639.jpg

Snail Porridge, Joselito Ham, Shaved Fennel

 

Um prato que vai contra as expectativas, pois os ingleses comem porridge (uma papa de flocos de aveia) em geral ao pequeno almoço adoçado com açúcar, mel ou compota. Neste caso o porridge não é doce, a aveia é cozinhada com um caldo de galinha, caracóis, vegetais e ervas. Depois é-lhe adicionada uma manteiga composta, em que a manteiga é batida com alho, chalotas, amêndoas, cogumelos, mostarda, presunto e muita, muita salsa. Esta vai-lhe conferir mais sabor, cremosidade, e sobretudo aquele verde forte. São adicionados caracóis cozidos e por cima colocado presunto e bolbo de funcho em tiras muito finas. 

 

Quando o trouxeram mencionaram as memórias de infância que eu tinha referido e disseram que esperavam que me fizesse recordá-las. Bem diferente da nossa forma de comer caracóis, mas quando identifiquei o presunto, também ele despertou memórias de infância. O prato fez-me sobretudo recordar as visitas anteriores ao The Fat Duck, sobretudo a primeira, em que o comi pela primeira vez. Tenho algumas fotos (muito más) desse almoço. No caso deste prato, só me lembrei da foto depois de já o ter comido. Ficou só para marcar presença... Mas quando me falam deste prato lembro-me sempre desta foto. Como se vê gostei.

 

Imagem(049).jpg

 

Não me lembro se pensei neste prato conscientemente quando preenchi o inquérito. Mas estou absolutamente convencida de que a escolha daquela memórias não foi absolutamente inocente, que estava associada a este prato e às memórias dele. Assim, de certa forma conseguiram satisfazer todas as minhas expectativas.

 

Para o acompanhar trouxeram um vinho francês,  Mas de Daumas Gassac  2016, produzido com uma combinação de castas raras (14%), 27% Viognier, 25% Petit Manseng, 21% Chardonnay, 13% Chenin.

 

IMG_20180517_144243.jpg

 

Este petisco de fim de tarde, deu de seguida lugar ao jantar. Um jantar para que tinha grandes expectativas.  Heston Blumenthal recorda frequentemente as visitas aos restaurantes nas suas férias em França. Aliás, foi a experiência num restaurante de três estrelas Michelin na Provence que despoletou a sua paixão pela cozinha e o fez descobrir o que queria fazer na sua vida.