Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Assins & Assados

Os restaurantes de fine dining não são sustentáveis.

por Paulina Mata, em 14.11.18

 

FDL Magnus Nilsson.png

 

verde escuro.jpg

 

 

Os restaurantes de fine dining não são sustentáveis. Uma afirmação que pode ser controversa e que foi proferida por Magnus Nilson numa entrevista recente, publicada no site Fine Dining Lovers. Ele justifica-o:

 

“Acho que o desperdício alimentar nos restaurantes é um problema muito menor do que as pessoas dizem. O desperdício alimentar como um problema global não está na realidade associado a restaurantes, mas sim ao retalho, onde perto de 40% do que é vendido por grossistas e retalhistas nunca chega ao consumidor final ou nunca é comido”, diz. "Os restaurantes, por razões económicas, sempre foram muito bons em minimizar o desperdício alimentar... é bom que as pessoas façam tudo o que podem e tudo ajuda, mas acho que esse é um dos pontos menos importantes ao abordar o tema da sustentabilidade."

 

Restaurantes como Fäviken e outros semelhantes são, segundo Nilsson, insustentáveis devido à sua própria natureza, pois o jet set gastronómico internacional chega em voos de todo o mundo para comer lá. E isso não tem problema.

 

"É de certa forma pouco importante", diz ele. “Não acho que alguém queira viver a sua vida de uma forma em que todos os dias sejam idênticos, onde para cada dia se tenha apenas à disposição o que é sustentável e que o que sustenta.

 

“Toda a gente precisa fazer o que pode, especialmente quando se está numa posição como a minha em que há muitos olhos postos em nós e se inspira muita gente. Acho que a coisa mais importante nas discussões em torno da sustentabilidade, quando se fala de restaurantes como Fäviken, é admitir para si próprio que o que se faz é totalmente insustentável”.

 

Como ele diz, "tudo ajuda"... Mas dá que pensar...

 

Considerando o que diz, faz sentido associar o conceito de sustentabilidade e práticas sustentáveis ao conceito que norteia a atividade de um restaurante de fine dining? Não digo que as práticas em si não seja importantes, tudo é. Pergunto apenas se faz sentido associá-las ao conceito base de uma atividade que, dadas as suas características intrínsecas, pode ser considerada não sustentável. Admitirão esses restaurantes que a sua atividade não é sustentável?

 

 

 

 

9 comentários

Comentar post