Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Assins & Assados

Inaceitável!  Como se justificam este tipo de reações relativamente a quem apenas não quer comer produtos de origem animal?

por Paulina Mata, em 04.11.18

waitrose editor.jpg

 

verde escuro.jpg

 

A resposta que William Sitwell, editor do Waitrose Magazine, deu a uma jornalista freelancer, Selene Nelson, que o contactou a propor uma serie de artigos sobre comida vegana, tem sido a causa de uma grande polémica na última semana no Reino Unido. Não só através das redes sociais, mas também em toda a imprensa. Situação que culminou com a demissão de Sitwell, escritor, editor há cerca de 20 anos do Waitrose Magazine, e elemento do júri do MasterChef.

 

Segundo a própria jornalista os motivos que levaram a propor esse trabalho e o que de facto propôs foram:

 

Last week, I pitched an article to my favourite food magazine. Inspired by Waitrose’s announcement that plant-based sales had soared 85 per cent, I emailed Waitrose Food‘s editor, William Sitwell, about a new series on vegan food: plant-based recipes, tips from vegan chefs, new ways of cooking with new ingredients. This series wouldn’t just appeal to vegans, I wrote, but anyone looking to eat more healthily and sustainably. The email was sent in a professional capacity, to the email address Sitwell publicises on his website – not, as claimed, a “private email”.

 

A resposta de Sitwell foi a seguinte:

 

sitwell.jpg

 

É incompreensível num país em que há mais de 3,5 milhões de consumidores veganos, e trabalhando Sitwell para a uma cadeia de supermercados que pretende ter um posicionamento a um nível de topo, não só em termos de qualidade, mas também em termos de sustentabilidade e comportamento ético. E neste caso isso não se refere apenas à forma de produção do que vendem, mas também respeito e condições de trabalho oferecidos aos colaboradores (que são referidos como partners) e em relação ao bem estar dos clientes.  A Waitrose foi ainda a primeira cadeia de supermercados no Reino Unido a ter uma linha própria de produtos veganos. Considerando tudo isto a resposta é ainda mais chocante, revelando também uma grande falta de profissionalismo e de responsabilidade. Atualmente este tipo de coisas chega em poucas horas ao conhecimento de milhões de pessoas e envolve não só quem escreve mas, em situações como estas, a imagem das empresas.

 

Quando li pela primeira vez, fiquei curiosa com o desenrolar do processo. Na minha opinião ele não podia continuar nem mais um dia, sob pena de ferir gravemente a reputação da Waitrose. A empresa imediatamente disse que o que tinha sido dito por Sitwell não refletia de todo a sua posição. As opiniões dividiram-se entre aqueles que enquanto não fosse tomada uma posição mais forte pela empresa deixariam de consumir produtos desta cadeia de supermercados, e aqueles que desvalorizavam o teor do email, considerando-o um email privado, ou vendo nele algum sentido de humor. Aliás, desculpa dada pelo próprio Sitwell.

 

He said he had enjoyed working on Waitrose Food for the last two decades and reiterated his “apology to any food and life-loving vegan who was genuinely offended by remarks written by me as an ill-judged joke in a private email and now widely reported”.

 

Um email enviado pelo editor de uma revista, em resposta a uma proposta profissional de trabalho pode ser considerado um email privado?  Parece-me que não.

 

Um email que revela uma atitude hostil e até ódio relativamente a um grupo de consumidores que apenas decidiu não comer produtos de origem animal é aceitável? Parece-me que não. 

 

É inacreditável o que se ouve quando se fala de veganos, desde chefes a dizer que se querem comer assim, que comam em casa e não saiam à rua, até coisas como estas. Mas não só, é muito desgastante ter que justificar constantemente uma opção alimentar que não obriga ninguém e ouvir constantemente "piadas" desagradáveis, ou questões que são sempre as mesmas.

 

Na generalidade o objetivo de quem segue esta dieta não é fazer ninguém sentir-se mal, mas preocupações com o bem estar animal, e portanto consumir excluindo, tanto quanto possível, tudo o que resulte de exploração de animais e crueldade relativamente a estes. Mas também preocupações com o ambiente, a sustentabilidade e a saúde. Aliás estas últimas razões têm feito com que muitas pessoas mudem a sua dieta, e mesmo quando não se tornam 100% veganos, tenham tendência a consumir cada vez mais pratos baseados em plantas.

 

Coisas que dão que pensar...

 

 

 

92 comentários

Comentar post