Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Assins & Assados

Umas coisas acabam, outras começam...

por Paulina Mata, em 12.01.19

IMG_20190112_112325.jpg

 

cinzento.jpg

 

Comecei a ir ao restaurante Cova Funda há cerca de 42 anos, tantos quantos o tempo de vida deste restaurante. Era assim como que um porto seguro, onde encontrava uma cozinha familiar e bem feita, ali mesmo à esquina, onde ia quando me apetecia uma comida conforto, quando não me apetecia cozinhar, quando não queria ir mais longe. Há dias cheguei de uma pequena estadia em Inglaterra, à hora do jantar disse "Não há nada em casa (o que significa que não me apetecia fazer nada, pois há sempre qualquer coisa), vamos ao Cova Funda". Virámos a esquina e percebemos logo que estava fechado, as luzes não estavam acessas. Fomos a outro sítio, uns minutitos mais a andar. O polvo com castanhas e ervilhas tortas e o coelho com cogumelos fizeram-me esquecer o assunto, mas ficou um pressentimento estranho. Em 42 anos, nunca tinha visto o Cova Funda fechado durante a semana.

 

Hoje de manhã fui às compras, passei pelo mercado, que em tempos era bem movimentado, e pelo menos metade das bancas estavam fechadas. O movimento era pouco. Saí e entrei na Terrapão, uma padaria que abriu há dias no mercado de Arroios. Pão com bom aspeto, comprei um que era tão bom quanto o aspeto que tinha.

 

Pelo caminho para casa vinha a pensar que tudo muda e se o mercado estava em fase decrescente, tudo à volta dele tinha uma vida como nunca ali tinha visto e uma oferta bem interessante. Há muitos anos que me lamentava de perto de casa não ter bom pão e ali estava ele. Lembrei-me do Cova Funda. Resolvi lá ir para ver o que se passava. Tinha fechado, um papel na porta dava essa informação. Da última vez que lá estive, há umas semanas, comi este frango de fricassé. Passei à porta à hora do almoço, quando regressava de uma consulta,  não estava a pensar lá almoçar, mas quando olhei para o menu e vi que tinham frango de ficassé entrei. Há muito que não comia este prato. Apetecia-me o conforto do tão esquecido frango de fricassé. 

 

IMG_20181107_123737.jpg

 

Para ser franca, das duas vezes em que lá estive desde que regressei em Setembro, senti algo diferente. Difícil de definir, pouco palpável. Tudo estava bom, cuidado... mas sentia-se na comida um certo cansaço. A cozinha tem a incrível capacidade de transmitir estas coisas...

 

Umas coisas acabam, outras começam. É esta dinâmica que torna a vida interessante. Obrigada Cova Funda por 42 anos de boas refeições.