Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Assins & Assados

Um Excelente Jantar com Vista para o Mar

por Paulina Mata, em 02.05.17

bela vista.jpg

 

amarelo.jpg

 

Uns dias de descanso na Praia da Rocha e num dos dias deixei a família e fui jantar ao Restaurante Vista no Bela Vista Hotel & Spa (um oásis na Praia da Rocha). Já tinha ouvido falar do trabalho do Chefe João Oliveira e estava curiosa.

 

A sala do restaurante tem vista para a praia e o mar, e foi exactamente o Menu do Mar e Sustentabilidade que escolhi e de que desfrutei nas três horas que se seguiram (e nem dei por elas passarem, o que só pode ser bom sinal).

 

i-belavista-restaurant1.gif

 

Depois de me instalar e me trazerem um toalhete aromatizado com água de flor de laranjeira, lembrando-me que o Algarve é uma região produtora de laranja, serviram-me um Champagne Pierre Mignon 100% Chardonay. Começou então a ser servida uma série de pequenos pratos inspirados pelo Algarve. O primeiro com um dos sabores que associo ao Algarve, já que as sardinhas assadas na zona ribeirinha de Portimão eram um programa obrigatório nas férias que ali passei durante alguns anos.

 

IMG_20170414_204552.jpg

Sardinha | Funcho Fermentado | Gaspacho

 

Uma biscoito oco de massa de pão, creme de funcho, e mousse de sardinha, sardinha braseada e a acompanhar um gaspacho com uma espuma de kimchi. Sabores fortes. Gostei, mas depois de comer o que se seguiu fiquei com dúvidas sobre se seria um prato para começar este menu, se não ficaria melhor num outro local, ou até mesmo se teria lugar num menu com as características do que se seguiu.

 

IMG_20170414_205259.jpg

Pé de Burro | Aipo | Pepino

 

Um pé de burro, com molho de pepino e maçã verde. Por cima um pickle de aipo. Apenas um... comia muitos mais. Muito fresco, muito bom! De seguida veio uma caixa cheia de cascas de lingueirão e por cima apenas um lingueirão! A sua "casca" era uma massa com algas e frita, muito crocante. Lá dentro havia lingueirão, sapateira, um chutney de pêra e algas. Por cima umas florzinhas. Lindo! Disseram-me que comesse em 2 ou 3 dentadas. E eu não consegui resistir e obedeci logo. Só depois da primeira me lembrei da foto.

 

IMG_20170414_210105.jpg

 Lingueirão | Sapateira | Pêra Rocha

 

De seguida chegou uma caixa de caviar com algo sobre a tampa. Quando a pousaram abriram-na e por dentro tinha o componente principal do prato. Lindíssimo!

 

IMG_20170414_211223.jpg

IMG_20170414_211233.jpg

 Chicharro | Vinagrete Asiático | Capuchinhas

 

Dentro da caixa chicharro marinado numa mistura com óleo de sésamo, pickles de cebolinho, caviar e capuchinhas, temperados com um vinagrete com sabores asiáticos. Sobre a tampa, uma hóstia de arroz, chicharro, um creme de limão e um pouco mais de caviar Não era só lindíssimo, era também excelente.

 

Serviram-me então outro vinho para acompanhar os pratos que se seguiram. Um Muxagat, Os Xistos Altos, Rabigato. Seguiu-se um pequeno filete de pirilau (peixe porco) por cima gotas de cinco molhos com sabores mediterrâneos - pesto, pimento, azeitona, laranja e alho negro. Disseram-me para comer em cinco dentadas, uma com cada um dos molhos. Vinha pousado sobre algas e o aroma que libertavam era bem forte, lembrava o mar. Tal como antes tinha acontecido, a vontade de experimentar foi muita e obedeci e logo dei a primeira dentada. Só depois me lembrei de tirar uma foto. 

 

IMG_20170414_212449.jpg

Pirilau | Sabores Mediterrâneos

 

O sabor do peixe é muito suave, os cinco molhos permitiam cinco experiências diferentes. Divertido! O aroma das algas sempre presente contribuía para a percepção do prato. Não tive a certeza se o molho de laranja não deveria ser último, pode ser apenas a cabeça estar formatada para o doce e a fruta virem no final... Pode ser que desta forma seja um desafio. Globalmente um prato mais suave que o anterior, mas não era possível continuar em crescendo e foi uma boa ponte para o prato seguinte. Um prato de sabores suaves.

 

IMG_20170414_213739.jpg

Gamba do Algarve | Couve-Flor | Amêndoa | Pinhões

 

Gambas do Algarve muito levemente cozidas, uma espuma com o caldo das gambas e amêndoa. Amêndoas e pinhões e ainda couve flor tostada. Para complementar, e introduzir uma nota de textura diferente, as cabeças e pernas das gambas fritas e muito crocantes. Excelente! Comia mais... mas muito estava ainda para vir, e o que se seguiu não ficava nada atrás...

 

IMG_20170414_214717.jpg

IMG_20170414_214804.jpg

 Lula | Coco | Galanga

 

Um ravioli muito fino de lula, recheado com lula picada, berbigão e espinafres. Por cima deitavam um caldo quente com aromas tailandeses - caldo de galinha, erva príncipe, galanga e coco. O caldo cozinhava muito levemente a lula. Muito bom!

 

Para os pratos seguintes o escanção, Tiago Pereira, trouxe dois vinhos. Quinta dos Carvalhais  Branco Especial (2004 - 2006) e Manuel Manzaneque Chardonnay 2007. Apenas costuma servir vinhos portugueses, mas tinham recebido recentemente este que estava a sugerir nessa noite. Um vinho com um aroma fumado forte.

 

O prato servido em seguida era bastante delicado e o único vinho que bebi com ele foi o Quinta de Carvalhais. 

 

IMG_20170414_220136.jpg

 Truta | Ervilhas | Ouriço do Mar

 

Truta salmonada, ovas de salmão, molho de yuzu. A acompanhar um rolo de folha brick que tinha no interior sapateira, um estufado de ervilhas, algas e ouriço do mar. Por cima puré de aipo bola. Um prato já com sabores mais fortes que os anteriores e a preparar para os seguintes com sabores um pouco mais rústicos.

 

IMG_20170414_221252.jpg

 Enguia | Batata | Soja Tostada

 

A enguia e a batata nova com um molho de soja tostada, por cima couve galega segada e frita. Um prato de sabores muito fortes. Aqui já me pareceu que o prato tinha estrutura para o vinho espanhol. Curiosamente senti que o vinho se apagava perante os sabores do prato. Enquanto que anteriormente tinha sentido notas fumadas muito fortes, bebendo-o com o prato apagavam-se um pouco. Eventualmente já tinha aquecido ligeiramente e isso mudava-o também. Por outro lado o Quinta de Carvalhais aguentava-se muito bem com os sabores fortes do prato, parecia até mais potente. Foi uma experiência interessante.

 

Chegou então o último prato, bacalhau confitado com creme de caras de bacalhau e feijão branco e um crocante de pão alentejano e ainda chouriço e alcachofra. A acompanhar, num cesto à parte que parecia um ninho, um ovo de codorniz panado em pérolas de arroz, por cima uma creme de um queijo francês emulsionado com sames, um sabor a queijo forte e uma textura muito suave. Um prato com sabores portugueses e mais rústicos, mas muito bom. Interessante a evolução desde o início com pratos muito suaves e delicados até chegar a este.

 

IMG_20170414_223002.jpg

IMG_20170414_223009.jpg

 Barrigas e Caras de Bacalhau | Ovo de Codorniz

 

Foi então a vez dos doces. Já tinha visto chegar a outras mesas um pequeno bonsai carregado de tangerinas. Também me chegou a mim, assim como um prato com uma compota de laranja. Olhando bem para o bonsai via-se que havia dois pequenos suportes espetados na terra onde estava num uma tangerina e noutro um limão. Pediram-me que os colhesse.

 

IMG_20170414_224529.jpg

 Os Citrinos do Algarve

 

IMG_20170414_224645.jpg

 

Recolhi-os e coloquei-os no prato junto com a compota de laranja. Parti-os, eram de chocolate branco, e por dentro tinham uma mousse e um gel de citrinos. Gosto destas formas lúdicas de apresentar os pratos. O conjunto muito agradável. Para acompanhar um vinho espanhol, Vino Naranja Oliveros, um vinho doce fortificado que é macerado durante cerca de um ano com casca de laranja e posteriormente é envelhecido mais cinco anos. Não conhecia e gostei muito e, sobretudo, achei que acompanhava muito bem com a sobremesa.

 

IMG_20170414_224818.jpg

 

Trouxeram-se depois um Madeira Sercial 10 anos para acompanhar a sobremesa, mas houve um troca e planos e enviaram-me uma sobremesa extra menu - amêndoas torradas e caramelizadas com especiarias, um brioche, gelado de fermento e um creme de leite de amêndoa.  Logo o Tiago Pereira corrigiu e trouxe um outro vinho, um Madeira Malvasia 10 anos. Sugeriu-me que experimentasse com os dois vinhos. Assim fiz, e tive duas sobremesas, pois a percepção mudava consoante o vinho. Uma óptima sobremesa, leve e pouco doce mas com sabores complexos e uma combinação de texturas interessante. Uma experiência interessante com os dois vinhos.

 

IMG_20170414_225912.jpg

 Amêndoa | Brioche | Gelado de Fermento

 

Finalmente chegou a última sobremesa do menu, framboesas apresentadas em diferentes formas e texturas, frescas, em compota, cobertas com uma fina camada de manitol que faz com que fique com um revestimento crocante e pouco doce, estando a framboesa fresca no interior... a acompanhar um sorvete de azedas e um gel de endro.

 

IMG_20170414_231120.jpg

 Framboesas | Azedas | Endro

 

Chegou finalmente uma infusão de ervas e as mignardises - um gel de laranja e cardamomo, um cookie de amendoim e uma trufa de chocolate e amêndoa. Tinham passado mais de três horas desde que me tinha sentado aquela mesa. Nem tinha dado por isso com a variedade e qualidade dos pratos, dos sabores, das sensações e das experiências. Mas também com a forma como me trataram. Um serviço excelente, atento, cuidado e em que tudo era apresentado com entusiasmo e com um brilho nos olhos. Uma sala completamente cheia (quis marcar para o dia anterior, mas não foi possível - estava cheio).

 

IMG_20170414_232854.jpg

 

Uma curiosidade, quando escolhi o menu que pretendia comer, disseram-me que para esse menu não traziam normalmente o couvert com pão. Se eu quisesse que poderiam trazer, mas que não aconselhavam. Gostei da ideia. Muitas vezes tenho defendido que apesar do hábito do pão com manteigas ou azeite, há menus em que isso não faz qualquer sentido. Durante a refeição lembrei-me de novo disto, pois na mesa ao lado, em que chegaram mais tarde, disseram que queriam pão. Tenho que concordar que não fazia sentido, que a coerência é maior tendo apenas os pratos propostos.

 

Um excelente trabalho do Chefe João Oliveira e da sua equipa. Um excelente menu com uma boa sequência de pratos. Boa criatividade e domínio técnico que resultam em pratos muito equilibrados, complexos e sofisticados.

 

O João Oliveira assumiu a liderança no Restaurante Vista há três anos, tendo passado antes por lugares como os restaurante Largo do Paço, Yeatman e Vila Joya. Com 30 anos, ainda tem uma grande margem para evoluir. É importante prestar atenção ao seu trabalho, pois vale mesmo a pena.

 

Quando este ano se faziam especulações sobre os restaurantes que poderiam ter uma estrela Michelin, o Vista foi várias vezes referido. Depois desta refeição acho que há mais do que justificação para isso.

 

Se quando entrei o ambiente era o da primeira foto, quando saí era este:

 

bela-vista-hotel-spa.jpg

 

 

 

Restaurante Vista -  Bela Vista Hotel & Spa

Av. Tomás Cabreira, Praia Da Rocha, Portimão 

 

 

4 comentários

Comentar post