Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Assins & Assados

Será que é mesmo chouriço?

por Paulina Mata, em 04.12.16

IMG_20161128_192612.jpg

 

 

beige.jpg

 

Nem tudo é o que parece... e isto não é um chouriço. Mas até parece, de aspecto e até de sabor. Tenho a certeza que enganaria muita gente. Não foi o melhor chouriço que comi, não esperava que fosse. Mas também não foi o pior. Comi já outros piores com carne, e este nem a tem. Comi-o cru e comi-o assado. Queria experimentar.

 

IMG_20161128_192956.jpg

 

Não pude deixar de ficar espantada com o que é possível fazer, quase quase nota a nota (devia mandar um ao Hervé This). Água, proteínas de fibras vegetais (de soja e trigo), vinho, massa de pimentão, massa de alho, azeite, especiarias, sal e fumo.  De carne, nada mesmo! Um chouriço vegan.

 

IMG_20161128_192758.jpg

 

Temperar com o som

por Paulina Mata, em 06.05.16

PitchFork3.jpg

 

beige.jpg

 

A percepção do que comemos é influenciada por muitos factores para além do que está no prato. Isso tem sido explorado ao longo dos tempos, mas ainda de forma muito incipiente.

 

Ainda há muito que investigar, e os resultados podem originar novas e interessantes possibilidades de condicionar a percepção do que comemos.

 

 

A leitura do artigo Pitch/Fork: The Relationship Between Sound and Taste (de onde tirei a 1ª foto) pode ser um bom programa para o fim de semana, que se prevê chuvoso.

 

 

Insects au Gratin - juntando o útil ao agradável

por Paulina Mata, em 03.05.16

insects au gratin 2.jpg

 

 

beige.jpg

 

 

Diz-se que no futuro teremos que comer insectos. Diz-se que no futuro comeremos alimentos impressos por impressoras 3D. Susana Soares, uma designer portuguesa que é professora na London South Bank University, baseou-se nestes dois pressupostos para desenvolver na sua universidade, com a colaboração de Andrew Forkes e Ken Spear, um projecto a que chamaram Insects au Gratin. Este combina a entomofagia com a impressão de alimentos 3D, e tem por objectivos explorar aspectos nutricionais e ambientais da entomofagia, e investigar novas formas de consumir insectos que tornem o seu consumo mais atractivo, e assim contribuir para o desenvolvimento de uma alimentação mais sustentável.

 

insects au gratin 3.jpg

 

 

O processo envolve produzir uma farinha de insectos a partir de insectos desidratados, adicionar ingredientes (queijo creme, pasta de manteiga, açúcar especiarias...) que formem uma pasta saborosa e utilizável numa impressora 3D, imprimir bolachas e cozinhá-las para serem consumidas (há um vídeo ilustrativo aqui).

 

Os protótipos produzidos, inspirados em insectos, ovos de insectos... são lindíssimos. E sobretudo uma excelente forma de nos levar a reflectir sobre esta problemática.

 

insect-au-gratin1.jpg

 

Em 1885 Vincent V. Holt dizia que acreditava que depois de descobrirmos como os insectos são bons, os cozinharíamos e comeríamos com agrado. O projecto Insects au Gratin constitui uma contribuição para esta descoberta.

 

 

1ª Foto DAQUI

Esquema do processo DAQUI

2ª Foto DAQUI