Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Assins & Assados

Rankings de Restaurantes

por Paulina Mata, em 12.02.17

lp vs mm.jpg

 

cinzento.jpg

 

Nas últimas semanas foram apresentados os resultados de dois processos de ranking de restaurantes. Primeiro, a 16 de Janeiro, Os 10 Restaurantes e 10 Chefes Preferidos de 2016 do Mesa Marcada e na semana passada, a 9 de Fevereiro, os resultados do Lisboa à Prova – Concurso Gastronómico de 2016.

 

Os dois têm características e envolvem processos diferentes.  No caso do Mesa Marcada o universo do concurso são todos os restaurantes de Portugal, restaurantes que são nomeados por um júri de chefes de cozinha, responsáveis por restaurantes, jornalistas, críticos, bloggers e clientes. Um júri de 147 pessoas em 2016. Cada elemento do júri envia uma lista, baseadas nas experiências tidas durante o ano em questão, com os seus 10 restaurantes preferidos por ordem decrescente. O ranking final é o resultado da soma total dos pontos de todas as votações.

 

Já no caso do Lisboa à Prova (um projeto da consultora de comunicação ÚNICA, promovido pela Câmara Municipal de Lisboa, Turismo de Lisboa e AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal) o universo do concurso são os restaurantes de Lisboa que concorrem (apenas quem se inscreve para ser avaliado é considerado).  Há uma classificação por três níveis: “1 Garfo”, “2 Garfos” e “3 Garfos” (havendo restaurantes que concorrem e não atingem nenhum desses níveis). Deste concurso resulta ainda o lançamento de um Guia  Gastronómico de Lisboa, este ano em aplicação para IOS e Android, com os restaurantes premiados do Concurso. Os restaurantes inscritos no Lisboa à Prova são avaliados por um júri selecionado que os visita anonimamente, sendo efetuadas cerca de 700 visitas.

 

Penso que ambos os concursos, pelas suas características, dão resultados que devem ser lidos de forma diferente. No caso do Mesa Marcada refletem primeiro as tendências do momento, e dentro destas os restaurantes com mais qualidade, já que cada pessoa só deve votar nos restaurantes a que foi no ano anterior, em princípio escolhidos e pagos por si.

 

No caso do Lisboa à Prova, apenas os restaurantes que se inscrevem são visitados, anonimamente e pelo menos 3 vezes, e avaliados nas áreas de cozinha, serviço, ambiente e relação qualidade/preço.  Do conjunto das visitas sai uma pontuação que leva à atribuição dos garfos. Portanto a escolha dos restaurantes não é uma decisão dos elementos do júri que apenas avaliam as suas características e qualidade. 

 

Tendo isto em conta, achei interessante fazer um paralelo entre os resultados da votação do Mesa Marcada e do concurso Lisboa à Prova.

 

Comecei por olhar para os 200 restaurantes nomeados Mesa Marcada e identifiquei os de Lisboa. Foram nomeados 82 restaurantes em Lisboa. Em seguida fui ver quais destes surgiam na lista de premiados do concurso Lisboa à Prova. As conclusões foram as que se seguem.

 

Dos 10 restaurantes classificados no Lisboa à Prova com 3 garfos, 8 surgem na lista de nomeados para os prémios do Mesa Marcada. 4 deles coincidem mesmo com os restaurantes de Lisboa do top 5 do Mesa Marcada (Feitoria, Belcanto, Alma e Loco). Há dois que não surgem nos nomeados do Mesa Marcada (A Travessa e o Restaurante do Hotel Lapa Palace). Os restantes aparecem no ranking do Mesa Marcada nas posições 32, 49, 69 e 142 (Eleven, O Nobre, Panorama e Varanda do Hotel Ritz).

 

Dos 31 restaurantes classificados no Lisboa à Prova com 2 garfos, 20 surgem na lista de nomeados do Mesa Marcada. Os que surgem mais alto no ranking do Mesa Marcada são A Cevicheria que surge na 17ª posição, e a Cave 23 que surge na 19ª posição. Depois há mais 5 que surgem entre a posição 28ª e 71ª (Mini Bar, Tasca da Esquina, O Talho, Salsa e Coentro e O Cantinho do Avillez) e há 13 que aparecem entre as posições 101 e 177. Há ainda na lista de premiados do Lisboa à Prova 11 que não surgem na lista de nomeados do Mesa Marcada.

 

Finalmente dos 84 restaurantes premiados com 1 garfo, apenas 4 surgem na lista de restaurantes nomeados na votação do Mesa Marcada.

 

Considerando os restaurantes de Lisboa que aparecem até à posição 60 do ranking do Mesa Marcada, há 16 que não aparecem na lista de premiados do Lisboa à Prova. Como conheço quase todos, e tendo em conta as características dos restaurantes premiados no Lisboa à Prova, a razão foi certamente por não terem concorrido.

 

Penso que o facto de poucos restaurantes com 1 garfo aparecerem na lista de nomeados do Mesa Marcada é compreensível já que o universo de restaurantes nesta votação é muito maior (todo o país) e cada membro do júri só pode indicar 10 restaurantes.

 

No caso dos restaurantes com dois garfos, tendo em conta a razão que acabei de referir acho que a concordância entre ambas as listas parece razoável. Sendo esta muito boa para os restaurantes com 3 garfos.

 

Assim, apesar das diferentes características dos dois processos de ranking dos restaurantes, e das razões que referi, que podem reduzir a concordância de resultados, parece-me que há uma boa concordância entre os dois processos relativamente aos restaurantes do Lisboa à Prova premiados com 2 e 3 garfos. Uma outra conclusão é a de que há muitos restaurantes em Lisboa que poderiam ter uma boa classificação no Lisboa à Prova e não concorrem e, por outro lado, há restaurantes que não têm estado presentes nas escolhas dos membros do júri do Mesa Marcada e que têm qualidade para isso.

 

 

4 comentários

Comentar post