Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Assins & Assados

Líbano - Muito Bey um pedaço de Beirute em Lisboa

por Paulina Mata, em 19.10.16

muito bey 1.jpg

 

laranja.jpg

 

Gosto muito de comida do Médio Oriente e dos seus misteriosos sabores, já aqui o disse, de modo que quando soube da abertura de um novo restaurante libanês em Lisboa, não demorei muito tempo a lá ir. Aconteceu recentemente à hora do almoço, num dia em que estava pela zona do Cais do Sodré.

 

O nome do restaurante intrigava-me: Muito BEY. Fiquei esclarecida ao ler o verso do menu:

"O nosso nome diz tudo: somos de Beirute e somos apaixonados por Lisboa, a nossa cidade adotiva. Para exprimir esse sentimento, combinámos BEY - o acrónimo do aeroporto de Beirute, que simboliza a nossa abertura e a nossa simpática diáspora, com Muito Bem - a nossa expressão favorita em português! Muito Bey é basicamente o que aconteceria se puséssemos um pedaço de Beirute em Lisboa."

 

Cheguei a um espaço cheio de luz, alegre, decorado com bom gosto e onde me senti bem.

 

muito bey 5.jpg

 

Optei pelo menu de almoço (13,5 euros) que inclui 1 sopa ou salada, 2 mezze, 1 grelhado e 1 bebida. A escolha era variada e apetecia-me provar tudo (tenho que voltar), mas optei por:

 

muito bey 2.jpg

 

Tabulé (salada de salsa picada com bulgur, tomate, cebola e hortelã fresca), Mutabal (pasta de beringela assada com tahini) e Labné Meklié (almôndegas panadas fritas de iogurte cremoso coado), que vieram acompanhados por um pão. Tudo muito fresco e saboroso.

 

muito bey 3.jpg

 

Kafta (espetadas de carnes de vaca e de borrego picadas com salsa e cebola) muito bom também e que combinou muito bem com a salada que tinha chegado antes e com a pasta de beringelas.

 

Decidi provar também uma sobremesa.

 

muito bey 4.jpg

 

Reze Bi Halib (mil folhas de arroz doce aromatizado com água de flor de laranjeira). Uma sobremesa que faz bem a ponte entre Beirute e Lisboa, o "nosso" arroz doce, com um sabor e textura bem familiares, mas com o toque exótico que lhe dá a água de flor de laranjeira, entre camadas de uma fina massa crocante e com a indispensável canela.

 

Gostei muito! O serviço ainda precisa de uma afinação, o que é normal num restaurante que abriu há apenas uma semana, mas é um espaço que promete e que nos proporcionará certamente novas e boas experiências.

 

Chukran, que significa obrigado (e que no bem humorado lisbeiruti, a língua do Muito Bey, se diz Chukrado). É bom ter um restaurante assim em Lisboa.

 

 

Muito Bey, Rua da Moeda, 4A, Cais do Sodré, Lisboa

 

2ª Foto DAQUI